segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Windows em cartucho

Não conheço nenhum micro de 32 bits que utilize cartuchos. Poucos de 16 bits os tinham, mas muitos de 8 bits usavam essa forma de armazenamento.

Incrivelmente, já houve até um PC que usava cartuchos. O PCjr usava o 8088 e, portanto, era uma máquina de 16 bits.

Os cartuchos têm uma vantagem enorme: o código está instantaneamente disponível para execução. Não é preciso esperar que o programa seja carregado para a memória.

Seria ótimo ter o Windows em cartucho: não seria preciso esperar tanto para iniciar a máquina.

Há, no entanto, um problema sério. Os programas estão muito maiores e, consequentemente, têm muito mais bugs. É impossível lançar um produto do tamanho do Windows 7 e não ter que publicar remendos para corrigir, pelo menos, os problemas de segurança.

Por outro lado, o cartucho poderia conter apenas o cerne do sistema. As configurações, atualizações e drivers seriam gravados no disco rígido, ou numa memória flash dentro do próprio cartucho.

Talvez seja só um pouco de saudosismo, mas era bom poder iniciar o micro num segundo.

Um comentário:

Anônimo disse...

SSDs para o disco de sistema estao "na moda" la fora. Mas, embora as entranhas sejam de um "cartucho", a metafora de acesso e' de disco. Frankeinstorage?

:-)