segunda-feira, 28 de março de 2011

Quatro dimensões em duas

O gráfico do último artigo tinha três dimensões (população, renda e longevidade) comprimidas nas duas dimensões de uma imagem. Neste, vou adicionar mais uma: educação.

O eixo horizontal representa as populações. Portanto, as maiores cidades estão mais à direita. O eixo vertical representa a renda. Logo, as cidades mais ricas estão mais altas que as mais pobres. A longevidade apareceu como cor: quanto mais claro o círculo, mais experiente a população.

Como todas as cidades foram representadas por círculos com o mesmo raio (6 pontos), resolvi usar o tamanho de cada círculo para indicar o índice de educação. A diferença entre o maior e o menor índices é de 0,188. Para simplificar, simplesmente multiplico a diferença entre cada índice e o menor (0,763) por 100. O resultado são raios entre 4 e 18 que, não sendo proporcionais, pelo menos realçam as diferenças.

A consulta é a seguinte:


select 'fill(0,'||w||',0);ellipse('||x||','||y||','||d||','||d||');' 
from (  
  select trunc(log(10,habitantes)*100)-300 x,
         500-trunc(avg(renda)*500) y,
         trunc(avg(longevidade-0.651)*1000) w,
         trunc(avg(educacao-0.763)*100) d
  from municipios
  group by trunc(log(10,habitantes)*100)-300
)
order by d desc

Usei verde para tornar o gráfico mais interessante. Além disso, ordenei os índices em ordem descendente para que os círculos maiores não fossem desenhados sobre os menores.

O resultado é a imagem abaixo:


Aparentemente, a educação melhora a renda. Ou talvez seja o contrário.

Nenhum comentário: