sexta-feira, 19 de março de 2010

A máquina do tempo IV

Na década de 1980, a BBC criou um programa de educação sobre computadores chamado BBC Computer Literacy Project. O projeto incluía emprestar o carimbo da BBC a um microcomputador (com o nome pouco criativo de BBC Micro), um programa de TV e muito dinheiro para que as escolas primárias e secundárias pudessem comprar equipamentos. Cada escola podia comprar o que bem entendesse, mas a maioria escolhia mesmo os micros da Acorn.

Em 2007, o Uruguai iniciou o plano Ceibal, com 150 alunos, numa pequena cidade chamada Villa Cardal, no departamento de Florida. O projeto utiliza o OLPC e cada criança, obviamente, tem o seu. O projeto britânico não foi tão generoso, porque os equipamentos eram muito caros.

O projeto uruguaio não é tão abrangente. Ele não tem um programa de TV, embora tenha um sítio oficial e um blog. O país, sendo pequeno, criou um único centro de manutenção. Todas as escolas estão sendo equipadas com acesso à Internet.

A Inglaterra até hoje colhe frutos do seu programa. Os processadores mais vendidos no mundo atualmente, os ARM, foram projetados inicialmente pela Acorn, que fabricava os micros para o projeto britânico. No Uruguai, as exportações de TI já representam 5,7% do total e grandes empresas multinacionais instalam-se num centro tecnológico e de negócios chamado Zonamerica, situado perto de Montevidéu.

Os britânicos queriam atingir também os adultos, porque tinham interesse em fazer crescer sua indústria de TI rapidamente. Em pouco tempo, até os jornaleiros estavam usando micros para controlar as assinaturas dos clientes e micros foram instalados em estações de trem isoladas (aquelas sem funcionários) para exibir informações dos horários. O Uruguai está investindo nas suas crianças com um objetivo mais pedagógico e já perceberam que o aprendizado melhorou, mesmo assim, a indústria de tecnologia está colhendo frutos.

Nenhum comentário: