sábado, 8 de maio de 2010

30h de discussão

O controverso (e pouco amado) Sindppd-RS quer reduzir a jornada de trabalho do setor de TI para 30h. É uma discussão que levanta opiniões bem fortes e, em grande parte, pouco elaboradas.

Não me parece absurdo, porque, tendo já trabalhado 30h, sei que é possível fazer bastante com 6h diárias ininterruptas. Mas parece que há um sentimento de que há mais valor em trabalhar muito, como se mais horas criassem exponencialmente mais valor. Pessoalmente, acho que a semana de 40h está de bom tamanho, mas as 40h do hemisfério norte (das 9h às 5h). Lá as pessoas precisam levar os filhos ao colégio, pagar as contas e fazer compras no fim do dia. Aqui, parece que não.

De qualquer forma, não acho que exista um número mágico que seja bom para todos. Por isso, creio que seria mais sensato se as empresas oferecessem vagas com cargas horárias alternativas. Um estudante poderia trabalhar 20h e um pai poderia oferecer 30h. Algumas já fazem isso.

As empresas de TI não costumam vender exatamente o mesmo produto para todos os seus clientes. Não vejo por que tenham que oferecer exatamente o mesmo contrato de trabalho a todos os seus funcionários.

2 comentários:

Luciano Pillar disse...

Se for possível pensar um pouco, ser razoável e vencer a inércia e o hábito creio que sim, é possível jornadas de trabalho mais inteligentes. Um dia será assim. Por enquanto, o problema são estas premissas.

Ed.Londero disse...

O capitalismo brasileiro é de tipo próprio.
As conquistas vieram pela mão do Getúlio, que correu a fazer a modernização que ele sabia necessária antes que os sindicatos se fortalecessem para conquistá-las.
Fez para modernizar o país e podar a esquerda.
Até hoje a direita odeia a CLT e as pessoas não sabem discutir seus parâmetros, porque tudo lhes foi dado.
Os sindicatos temem ter pouca força de negociação e não arriscam discutir.
Acham que se colocarem muitos assuntos na mesa vão perder.
40 horas seria ideal para o povão hoje em dia.
E o Brasil tem 3 Brasis convivendo junto. Tem o rural, o industrial e o de serviços.
60 horas é jornada de colono, de empreendedor por conta própria.
40 horas ou menos para pedreiro e operário.
30 horas para setor de serviço, igualar programador a bancário é algo bem sensato.
Médicos e professores geralmente tem contratos de 20 horas.
É que colocar as coisas para negociar implica em se ter força.
Tu imaginas os programadores do Terra ou da Dell colocando a empresa contra a parede de igual para igual ?