quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Recuperando um roteador WR1043ND com um Raspberry Pi

Um amigo apresentou-me um desafio: recuperar um roteador cuja atualização do firmware dera errado. O roteador, um TP-Link WR1043ND, não funcionava mais. Esse equipamento tem uma interface serial na placa. É uma interface de 3,3V que é compatível com a interface serial do Raspberry Pi.

Infelizmente, não basta abrir a caixa: a interface serial não tem os pinos instalados. Comprei os pinos, um pouco de fio e conectores para construir um cabinho. Depois comecei a perceber que cabinhos com os conectores adequados estão por toda parte: os mouse Genius antigos os tem, assim como os cabos de som dos drives antigos de CD. Até mesmo o cabo de um drive de disquetes ou de HD IDE serviria com algumas modificações. Também aprendi que montar um cabo sem um crimpador é difícil.

No Raspberry Pi, os pinos 6, 8, e 10 servem a porta serial, sendo, respectivamente, o terra (G), a transmissão (Tx) e a recepção (Rx). Eles são vizinhos de dois pinos com 5V (o 2 e o 4), então é preciso ter cuidado. No roteador, para minha sorte, Rx e Tx estão trocados. Percebi isso apenas depois de ter montado o cabo com pinagem idêntica nas duas pontas. Sorte de principiante.

Como os pinos são muito pequenos e não tenho nenhuma prática com soldagem, pedi ajuda à esposa amada, que, embora também não soubesse soldar, tem mais habilidade. O resultado ficou além do esperado.



Do outro lado, os pinos:


São quatro pinos, porque não havia um conector de três disponível. O quarto pino é de energia (3,3V) e é desnecessário para este projeto.

As instruções para atualizar o firmware via a interface serial estão disponíveis na wiki do OpenWRT. Para esse modelo, há duas opções para carregar o arquivo: via tftp e via a própria interface serial. Como eu estava longe do roteador e usando um Raspberry Pi que não tem uma porta ethernet, resolvi executar tudo pela interface serial.

O primeiro passo é instalar o kermit (para enviar o arquivo) e o minicom (para interagir com o roteador):

sudo apt-get install kermit minicom

A porta serial aparece como o device /dev/serial0 (que é apenas um link para /dev/ttyAMA0). Então, para iniciar a comunicação, o comando é:

minicom -b 115200 -o -D /dev/serial0

E só depois liguei o roteador. Ele não dá muito tempo para interromper a sequência de boot. Assim que aparecer o texto "Autobooting in 3 seconds" é preciso digitar tpl para interromer o processo normal. Pode ser preciso desligar e religar o roteador várias vezes.

Pelo minicom, digitei um comando para limpar um bloco de memória e outro para carregar o arquivo novo:

erase 0xbf020000 +7c0000 
loadb 0x81000000

Depois, noutro terminal, iniciei o kermit sem parâmetros e digitei os seguintes comandos:

set line /dev/serial0
set speed 115200
set carrier-watch off
set handshake none
set flow-control none
robust
set file type bin
set file name lit
set rec pack 1000
set send pack 1000
set window 5
send wr1043nd.bin 

Isso deveria durar uns 20 minutos, mas houve muitos erros na transmissão e o envio levou duas horas. Os erros atribuo à qualidade do meu cabo.


Terminado o envio, dois comandos terminam o processo, copiando o arquivo para o flash e reiniciando o roteador:

cp.b 0x81000000 0xbf020000 0x7c0000
bootm 0xbf020000

Eu entendo que a interface serial esteja escondida, porque seria fácil usar uma interface de 5V (ou 12V) e queimar o equipamento, mas acho que foi economia demais não colocar os pinos (que custam centavos). De qualquer forma, o experimento foi um sucesso e várias habilidades novas foram adquiridas.

Nenhum comentário: